Geral

É permitido o uso de dispositivos de computação no trabalho?

É permitido o uso de dispositivos de computação no trabalho?

Estamos na era da tecnologia, é normal que o uso de aparelhos eletrônicos (celulares, tablets, computadores ...) tenha disparado. Porém, há trabalhadores que vão longe demais em seu uso, usando-os para finalidades totalmente diferentes.

É cada vez mais comum ver procedimentos desse tipo nos Tribunais. Existem decisões judiciais que endossam as medidas tomadas pelas empresas, desde que respeitem os critérios de adequação, necessidade, proporcionalidade, justificativa, ponderação e equilíbrio.

Além disso, uma das frases de referência é de Supremo Tribunal Federal, da Câmara Social (seção 1), de 26 de setembro de 2007, ficou estabelecido que o uso de dispositivos eletrônicos deve obedecer aos critérios acima mencionados.

O notável da sentença consiste em um debate constante entre a aplicação do artigo 18 do Estatuto do Trabalhador (doravante, ET), e o poder de fiscalização e controle do empregador estabelecido no artigo 20.3 do ET. Concluindo que o controle do uso de meios informáticos é regulamentado de acordo com o artigo 20.3 da ET.

"3. O empresário pode tome uma atitude que ele considera mais apropriado de vigilância e controle para verificar o cumprimento pelo trabalhador das suas obrigações e deveres laborais, tendo na sua adoção e aplicação a consideração devida à sua dignidade e tendo em conta, quando for o caso, a real capacidade dos trabalhadores com deficiência ”.

De forma que, para evitar conflitos jurídicos pelo uso de dispositivos eletrônicos, as empresas têm o poder de regulamentar o uso de dispositivos no local de trabalho, desde que o protocolo seja claro, ou seja, tanto o empregador como o empregado devem estar atentos aos limites do regime jurídico que define esta matéria.

sim a empresa não estabeleceu uma conduta a este respeito, Pode ser utilizado, sempre de forma que não interfira no desenvolvimento da atividade laboral. A empresa não pode solicitar ao trabalhador que lhe mostre os aparelhos eletrônicos para verificar se foram utilizados no horário de trabalho, pois estaria incorrendo em um violação do direito à privacidade do artigo 18 da Constituição Espanhola.

Como exemplo, temos a frase de Superior Tribunal de Justiça da Catalunha de 26 de novembro de 2012, em que é declarado:

“(…) O recorrente afirma que o uso do celular é abusivo, excessivo e desproporcionalmente longo, porém, não há evidências comprovadas de que deu instruções sobre o uso ou abuso ou que limitará o tempo da ligação (…)”

Trata-se de uma sentença de demissão por uso abusivo e excessivo do celular, No entanto, não houve proibição por parte da empresa, pelo que o despedimento foi declarado inadmissível. Por consequência, ¿O empregador pode demitir um trabalhador por uso abusivo do celular da empresa?

A doutrina jurisprudencial entendeu que o uso abusivo dos meios que o empregador coloca à disposição dos seus trabalhadores é causa de dispensa do artigo 54 do TE, com fundamento na transgressão da boa-fé contratual, bem como no abuso de confiança na execução do trabalho.

Em conclusão, não há regulamentação sobre o uso de dispositivos eletrônicos durante o horário comercial. Carecem de uma legislação que regule esse uso, para evitar conflitos e mal-entendidos, é necessário que a empresa, desde o primeiro momento, estabeleça limites claros para o uso de dispositivos eletrônicos. Sem dúvida, isso evitaria conflitos e ações judiciais futuras.



Vídeo: Programação para Dispositivos Móveis Aula 01 (Janeiro 2022).